A 4ª Vara de Santa Inês realizou nesta quarta-feira (19) o primeiro júri popular após a suspensão das atividades desde o início da pandemia da Covid-19. Presidido pela juíza titular Denise Pedrosa Torres, a sessão seguiu todos os protocolos de segurança, estabelecidos pelos órgãos de saúde, bem como as Portarias do Tribunal de Justiça do Maranhão referentes ao tema. No banco dos réus, Talisson Silva Santos, Paulo Henrique Alves e Wanderson Rocha dos Santos, sobre os quais pesavam as acusações de práticas de crime de homicídio e tentativa de homicídio.

Narra a denúncia que, no dia 26 de fevereiro de 2017, os acusados acima citados, acompanhados de Itamar Sousa e Danrley dos Santos, durante uma festa de carnaval na praça central de Santa Inês, desentenderam-se com outro grupo, iniciando uma confusão. O outro grupo de jovens conseguiu fugir. A vítima Michael Douglas da Silva Amorim, por conhecer um dos jovens que estava sendo perseguido pelo grupo, pediu para “largarem de mão”.

Ato contínuo, ele passou a ser agredido pelos acusados, momento em que caiu, recebendo chutes e socos. Um dos rapazes do grupo alvejou Michael Douglas com um tiro e, ainda assim, as agressões continuaram, momento em que um dos denunciados aplicou golpes de arma branca em Michael. Relata a denúncia que a outra vítima, José Eduardo Santos, tentou socorrer Michael, ocasião em que foi atingido com uma facada pelas costas, sendo retirado da confusão pela própria mãe.

LEVADO AO HOSPITAL

A denúncia relata, ainda, que enquanto José Eduardo era socorrido, o acusado Talisson desferiu mais tiros em Michael Douglas, mesmo caído e ferido. Ele ainda foi socorrido e levado ao hospital, mas não resistiu aos ferimentos e morreu. O grupo empreendeu fuga, sendo capturado depois pelas diligências policiais. De início, apenas os três acusados citados acima foram pronunciados a júri.

Ao final, o réu Talisson Silva Santos foi condenado pelo homicídio de Michael Douglas, recebendo a pena de 18 anos e 09 meses de reclusão. Ele foi absolvido do crime de tentativa de homicídio tendo como vítima José Eduardo Santos. Os réus Paulo Henrique e Wanderson Rocha foram absolvidos do crime de tentativa de homicídio praticado contra Paulo Henrique. Sobre a vítima Michael Douglas, como a autoria do homicídio foi atribuída a Talisson Silva, os outros quesitos foram prejudicados. Daí, a sentença serve como alvará de soltura aos réus Paulo e Wanderson.

Atuaram na sessão do Tribunal do Júri, além da juíza Denise Pedrosa Torres, o promotor de Justiça Moisés Caldeira Brant, na acusação, os defensores públicos Pedro Ícaro Santiago e Ualasse Louzeiro, bem como o advogado Augusto Batalha Costa.