Emerson Vieira Correa, que se apresentou à polícia ontem (24) e confessou ter assassinado a jovem Carina Silva na madrugada do último domingo (20) participou de audiência de custódia nesta sexta-feira (25).

O juiz da Central de Inquéritos e Custódia, José Jorge Figueiredo, decidiu pela manutenção da prisão temporária representada pela Polícia Civil, com parecer favorável do Ministério Público.

Emerson deve permanecer na Unidade Prisional de Ressocialização (UPRI) até a conclusão das investigações pela Polícia e o envio do inquérito à Justiça.

No depoimento ao delegado Gustavo Tavares ele contou que assassinou a jovem com golpes de marreta na cabeça após um surto. A polícia também investiga se o caso tem relação com algum ritual porque na casa onde aconteceu o crime foram apreendidos vários objetos, como velas, chocalhos, bonecas, ervas e um líquido que deve ser periciado.

Emerson e Carina se conheceram por meio de um aplicativo de encontro. O corpo da jovem foi encontrado despido às margens da BR-010.