Associação dos Advogados do Maranhão – AMAd- emite NOTA DE REPÚDIO, em apoio ao advogado, Charles Dias, referentes às notícias publicação em Blog’s, acerca do recurso por ele interposto ao TSE, sobre a sua candidatura à lista tríplice para vaga de Desembargador ao TRE-MA.

A Nota assinada pelo Presidente – Dr. Roberto Gomes e o Procurador Juridico – Dr. Gustavo Carvalho – da AMAd, esclarece que: “ (…) sem
pretensão alguma de examinarmos o mérito do recurso ou a conduta de qualquer profissional da Advocacia, situação que não nos cabe, quiçá os fatos relatados e trazidos à baila no voto do Eminente Ministro Alexandre de Moraes no qual, respeitamos, mas com toda vênia, divergimos, visto que, em uma democracia, todos os cidadãos e cidadãs, tem o direito de exercer sua liberdade de expressão e convicções político e ideológica. Esta Associação, jamais irá, sob hipótese alguma, deixar de se manifestar em total apoio e solidariedade quando qualquer Advogado ou Advogada for ofendido(a), seja na defesa intransigente das prerrogativas, seja de forma assistencialista”.

Destaca ainda, sobre o advogado que: “O Dr. Charles Dias, além de ter serviço prestado à Advocacia estadual e nacional, ocupou com altivez, o cargo de Conselheiro Federal, de Procurador Nacional das Prerrogativas do Conselho Federal da Ordem dos Advogados do Brasil, no período compreendido entre, 2016/2018, dentre outras participações no cenário da Advocacia, viajou este imenso Brasil do “oiapoque ao chui,” fazendo a defesa intransigente, inclusive, em Tribunais Superiores e no Supremo Tribunal Federal, na defesa de Advogados e Advogadas, que tiveram suas prerrogativas violadas.”

Gustavo Carvalho, Procurador da AMAd, finaliza, que: “ (…) Associação, não coaduna com qualquer manifestação contrária ou ofensa à dignidade do Advogado ou da Advogada, se solidariza ao Dr. Charles Dias e se coloca à sua disposição, em busca de que novos horizontes se abram, sobretudo para os jovens advogados, que ingressam nos quadros da Ordem dos Advogados do Brasil, nessa linda e secular profissão.”