Corpo de mulher é encontrado na UFMA em São Luís

Corpo de mulher é encontrado na UFMA em São Luís — Foto: Domingos Ribeiro/

O corpo de uma mulher foi encontrada na manhã desta segunda-feira (13) no campus da Universidade Federal do Maranhão (UFMA), em São Luís.

Segundo a polícia o corpo da mulher, que ainda não foi identificado, estava atrás do prédio da TV UFMA. A vítima, que é negra, estava com o vestido rasgado e foi encontrado por uma funcionária da instituição que trabalha na área da limpeza.

O delegado Arthur Benazzi, da Superintendência de Homicídios e Proteção à Pessoa (SHPP), que investiga o caso, revelou que foram encontradas marcas de agressão nos olhos e na boca da mulher. Além disso, ele contou que há a possibilidade de ela ter sido esganada até a morte.

“As marcas são no rosto, são na boca. Ela foi bastante agredida na boca, no olho, mas há indícios que ela possa ter sido esganada, o que teria sido a causa da morte. Mas isso só exame médico legal que vai confirmar. Há, aparentemente, lesões que indicam isso”, disse o delegado.

O delegado também contou que nenhum documento de identificação foi encontrado com a vítima e que o próximo passo nas investigações é aguardar a presença de familiares que possam colaborar com informações.

“Ainda não conseguimos nenhum documento e nem aparelho celular. A gente vai ter que aguardar a chegada de familiares na delegacia para coletar mais indícios do fato ocorrido, como com quem a vítima saiu, se esteve em alguma festa na noite de ontem”, disse o delegado.

Delegado quer analisar imagens de câmera de segurança

Arthur Benazzi disse, ainda, que imagens de câmeras de monitoramento de dentro do campus da UFMA serão usadas durante as investigações a fim de colaborar com a elucidação do crime.

“Nós estamos nos dirigindo para a Prefeitura do Campus para o recolhimento dessas imagens para ajudar nas investigações e nós vamos trabalhar com as imagens que obtivermos”, finalizou.

Uma viatura do Instituto de Criminalística (Icrim) foi levado para o local onde o corpo foi encontrado para removê-lo ao Instituto Médico Legal (IML).