Uma das empresas alvo da operação “Cobiça Fatal” da Polícia Federal em São Luís, tem faturado milhões da prefeitura de Arame, localizado a 476 km de São Luís. A operação da PF teve a finalidade de desarticular uma associação criminosa voltada à fraude em licitações. As investigações foram iniciadas para verificar possíveis desvios de recursos públicos federais que seriam usados no enfrentamento do novo coronavírus (COVID-19).

A empresa Pleno Distribuidora alvo da PF tem mantido contratos milionários na gestão da prefeita Jully Menezes para o fornecimento de medicamentos, entre outros.

Desde o ano de 2017 a empresa já faturou mais de R$ 7 milhões na prefeitura do pequeno município de Arame, onde os moradores denunciam que falta o básico no único hospital da cidade. O valor é de R$ 7.170.317,97, divididos em 8 contratos.

A empresa também firmou contrato com a gestão de Jully Menezes para o fornecimento de kits de materiais didáticos, pagos com recursos do Fundo de Manutenção e Desenvolvimento da Educação Básica (FUNDEB).