O Congresso Nacional aprovou nesta quinta-feira o projeto da Lei de Diretrizes Orçamentárias (LDO) para 2022, com a previsão de um déficit de 170,47 bilhões de reais para os Orçamentos Fiscal e da Seguridade Social da União (Governo Central) e um fundo eleitoral ampliado para 5,7 bilhões de reais. O texto segue agora para sanção presidencial.

O deputado federal maranhense Juscelino Filho (DEM-MA), relator da Lei de Diretrizes Orçamentárias, propôs retirar recursos das emendas de bancada – que financiam obras e programas em saúde e educação – para aumentar o volume de recursos do fundo público com recursos para as campanhas eleitorais.

O fundo eleitoral de 2022, conhecido como Fundão, deverá ter até R$ 5,7 bilhões oriundos do Tesouro Nacional, segundo o que foi aprovado pelo Congresso Nacional, nesta quinta-feira (16). O texto do relator, deputado federal Juscelino Filho, aumentou o valor do fundo de R$ 1,7 bilhão para R$ 5,7 bilhões em plena crise de saúde e econômica com milhões de desempregados.

Apesar do texto ser alvo de polêmicas, Juscelino Filho rebateu as críticas ao aumento dos recursos do fundo eleitoral no momento em que o país enfrenta uma profunda crise econômica, sanitária e social. “Todos sabemos que ano que vem é ano eleitoral e o Fundo de Financiamento de Campanha tem papel no exercício da democracia dos partidos”, justificou deputado maranhense