O deputado estadual Roberto Costa (MDB), tirou licença na Assembleia Legislativa  por 121 dias. No lugar dele, assume seu suplente,  Léo Cunha (PL), que até então, era candidato a prefeito de Estreito.

Roberto é vice-presidente do MDB no Maranhão, e deve assumir a missão de coordenar a sigla em mais de 100 municipios. Já que os ex-governadores João Alberto e Roseana Sarney, lideranças do partido, estão em isolamento domiciliar devido ao Covid-19, por serem do quadro de risco.

Além de Léo Cunha, estão como titular no mandato, de maneira temporária, os deputados Ducilene Belezinha (vaga de Detinha); Socorro Waquim (vaga de Rigo Teles); Ariston Gonçalo (na vaga de Marcelo Tavares); Zito Rolim (na vaga de Márcio Honaiser); Valéria Macedo (na vaga de Ana do Gás); Marcos Caldas (no lugar de Pastor Cavalcante); Pastor Ribinha (no lugar de Wendell Lages); Fábio Braga (na vaga de Fernando Pessoa) e Toca Serra (na vaga de Rildo Amaral).

ELEIÇÕES EM ESTREITO

Léo Cunha, teve recentemente sua candidatura impugnada pelo promotor eleitoral, Eduardo André Aguiar Lopes, da 82ª Zona Eleitoral.  Para o Ministério Público Eleitoral (MPE), Cunha encontra-se inelegível para o cargo de prefeito em virtude de ter irregularidades relacionadas à prestação de contas no ano de 2018, quando ele foi candidato a deputado estadual.