O governador Flávio Dino (PCdoB) afirmou nesta segunda (1º) que está descartado, no momento, a decisão sobre um novo  ‘lockdown’ em todo o estado. No entanto, Dino anunciou que serão tomadas medidas de restrição a aglomerações nos próximos 10 dias. O anuncio foi feito durante reunião com prefeitos da Região Metropolitana de São Luís e com membros do legislativo e judiciário

“Houve um consenso no sentido de não ter lockdown. Nós estamos descartando nesse momento, ou seja, nesta semana, qualquer decisão sobre o lockdown. O que nós faremos, muito provavelmente, é a edição de normas e de decisão de vários orgãos que aqui estão no sentido de fazer com que certas atividades deixem de ocorrer durante um período, provavelmente 10 dias. Nós teremos restrições para grandes aglomerações, eventos que envolvam muitas pessoas, eventos festivos. Nós iremos fazer essa suspensão, porque são oportunidades para que o coronavírus se prolifere. (…) Essas restrições serão debatidas por mim com as entidades empresariais. E haverá outras consultas a outras entidades, sindicatos e somente após esse diálogo, é que vamos editar o decreto”, afirmou Dino.

O governador também declarou que o serviço público estadual terá as atividades suspensas por 10 dias. Disse ainda que está sendo trabalhado, em conjunto com os prefeitos, a possibilidade de punir com mais rigor quem não usa máscaras.

Covid-19 no Maranhão

O Maranhão chegou nesta segunda (1º) a 219.632 casos e 5.074 mortes pela Covid-19. Nas últimas 24 horas, foram registrados 318 novos casos e 22 mortes, o que não acontecia desde julho de 2020.

Das novas infecções, 102 foram na Grande Ilha (São Luís, São José de Ribamar, Paço do Lumiar e Raposa), 12 em Imperatriz e 204 nos demais municípios do estado.

O número de pacientes ativos também aumentou e superou os 10 mil. Destes, 8.890 estão em isolamento domiciliar, 664 internados em enfermarias e 462 em leitos de Unidade de Terapia Intensiva (UTI). Os casos ativos indicam o número de pessoas que estão atualmente com a doença.