Após anunciar a retomada das aulas presenciais nas escolas no dia 10 de agosto, o Governo do Maranhão anunciou, nessa terça-feira (28), que o retorno das aulas será adiado para uma data a ser definida após consulta pública. Segundo a Secretaria Estadual de Educação (Seduc), a decisão de adiar foi tomada após uma pesquisa com a comunidade escolar.

Já o Sindicato dos Estabelecimentos de Ensino do Estado do Maranhão (Sinpe-MA) informou, nesta quarta-feira (29), que vai manter o cronograma de retomada das aulas presenciais em escolas particulares no estado previsto para a segunda-feira (3).

O Sinpe afirma que as escolas particulares estão respaldadas pelo Decreto Estadual 35.897/2020, que prorroga até o dia 2 de agosto, a suspensão das aulas presenciais. A entidade representa mais de 50 instituições de ensino privadas em todo o estado do Maranhão.

O sindicato reforçou que a retomada vai seguir os protocolos sanitários da Secretaria de Estado da Saúde (SES) e as escolas devem optar pelo ensino híbrido (com aulas online e presenciais). Além disso, o retorno dos estudantes não será obrigatório.

Entre outras medidas impostas pela rede privada de ensino está o uso obrigatório de máscaras, a aferição de temperatura de alunos e colaboradores e a suspensão do recreio. As escolas também deverão adotar as seguintes medidas:

  • Criar um protocolo de segurança sanitária;
  • Orientação constante sobre o uso e manuseio das máscaras;
  • Proibição do uso coletivo de bebedouros;
  • Adoção de garrafas de água individuais;
  • Realizar a divisão das turmas em grupos;
  • Distribuir álcool em gel para os alunos e instalar reservatórios com o produto nas dependências;
  • Estabelecer horários diferenciados de entrada e saída;
  • Escalar dias para as aulas presenciais;
  • Distanciamento mínimo de 1,5 m entre os estudantes.