O resgate aconteceu no dia 13 de abril, depois de uma denúncia feita por uma sobrinha na 43ª DP, em Guaratiba, mas só alguns dias depois a idosa voltou para o seu estado de origem.

A idosa e uma outra irmã, saíram do Maranhão em busca de trabalho. Maria das Graças morou no Rio Grande do Sul e, partir de 1969, no Rio de Janeiro. Já Maria de Nazaré, que também foi embora do Maranhão, morreu em 2017.

Hoje os planos das irmãs são de nunca mais separar mais.

“Agora nós estamos juntas e só nós separamos com a morte. Nós estamos juntas agora e Deus vai prolongar os nossos dias de vida na terra, para nós vivermos muitos anos ainda”, disse Maria da Conceição, irmã da idosa.

A ex-patroa de Maria das Graças, identificada como Therezinha da Silva Moraes, de 82 anos, devido a idade avançada, responde em liberdade pelos crimes de cárcere privado e trabalho análogo à escravidão.