O principal suspeito da morte da jovem Carina Silva Sousa, de 24 anos, na madrugada do último domingo (20) foi preso na manhã desta quinta-feira (24).

Emerson Viera Correa principal suspeito do homicídio

Emerson Viera Correa se apresentou à Delegacia de Homicídios voluntariamente, mas já havia um mandado de prisão temporária expedido contra ele desde ontem (23). Ele confessou a autoria do homicídio.

Carina foi encontrado sem roupas, com os cabelos cortados , no domingo (20), às margens da BR-010

O corpo de Carina foi encontrado sem roupas, com os cabelos cortados , no domingo (20), às margens da BR-010, a cerca de 500 metros da barreira da Polícia Militar do Bananal.

A polícia encontrou diversos materiais para a prática de magia negra da casa do suspeito e acredita que Carina tenha sido morta por conta desses rituais.

“Ele não disse que houve ritual, mas temos a suspeita de que houve ritual e que ele estava sob efeito de substâncias. Ele confessou que faz parte de uma seita”, contou o delegado Gustavo Taváres. 

De acordo com informações da Polícia Civil, o crime teria sido praticado após um desentendimento entre os dois, que se conheceram pela internet, e Emerson disse que matou a jovem com uma marreta.

“A família nos ajudou com o backup das conversas de celular e a gente conseguiu identificar uma conversa dela com esse jovem, bem comprometedora. Ele disse que estava saindo por volta de 22h de um culto do Santo Daime e iria buscá-la para levar até a casa em que ele convive com outra mulher em união estável, que estava viajando pro RJ. Ele disse que teve um surto e passou a golpeá-la com golpes de marreta na cabeça”, contou o delegado.

De acordo com a polícia, Emerson não praticou ato sexual com Carina.

“Ele nega, mas fato é que é surpreendente ele matar uma jovem que ia manter relações amorosas de uma hora para a outra. Nós estamos investigando para saber até onde esse material apreendido pode ter relação com o crime, já que estudiosos afirmam que eventos lunáticos podem ter a ver com sacrifícios humanos”, relatou o delegado.