O candidato a presidente em 2018 Fernando Haddad (PT) afirmou que, após uma conversa com o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT), aceitou se candidatar novamente ao cargo em 2022. Isso se os direitos políticos de Lula continuarem cassados. As informações é do Uol.

A escolha de Lula, coloca um ponto final no sonho de Flávio Dino, que colocou seu nome a disposição em 2022, para sair candidato, representando uma ampla frente de esquerda e apoiado pelo ex-presidente Lula.

“Ele (Lula) me chamou para uma conversa no último sábado e disse que não temos mais tempo para esperar. Ele me pediu para colocar o bloco na rua e eu aceitei”, afirmou Haddad em entrevista à TV 247, revelando que começará a viajar pelo Brasil em pré-campanha.

Em 2018, Haddad era candidato a vice-presidente, mas assumiu a cabeça de chave quando Lula foi declarado inelegível após a condenação pelo caso do tríplex do Guarujá (SP). O ex-prefeito de São Paulo chegou a avançar ao segundo turno, mas perdeu para o presidente Jair Bolsonaro (sem partido), que obteve 55,13% dos votos válidos.

Lula está inelegível atualmente, mas ainda pode ser o candidato do PT em 2022 caso suas duas condenações em segunda instância – uma pelo tríplex do Guarujá (SP) e outra pelo sítio de Atibaia (SP) – sejam revogadas. Atualmente, o primeiro caso está em discussão no STF (Supremo Tribunal Federal), em ação que apura uma suposta parcialidade do ex-juiz Sergio Moro no processo. O Supremo esperar julgar este caso ainda neste 1º semestre.

Moro também conduziu a investigação do sítio, mas a sentença foi dada pela juíza substituta Gabriela Hardt, depois que o titular deixou o cargo para assumir o posto de ministro da Justiça e da Segurança Pública no governo Bolsonaro.

Se Lula recuperar os direitos políticos, será o candidato do PT no lugar de Haddad. “Caso isso ocorra, ele terá o apoio de todos nós”, afirmou o ex-prefeito de São Paulo, Fernando Haddad.