A promulgação do decreto legislativo que torna oficial o Acordo de Salvaguardas Tecnológicas (AST) entre Brasil e EUA pode beneficiar o Maranhão com o Brasil entrando no mercado aeroespacial.

Em entrevista a O Imparcial,  o deputado federal, Pedro Lucas Fernandes (PTB), atual presidente da Frente Parlamentar em Defesa da Modernização do Centro de Lançamento de Alcântara, afirmou que o Maranhão pode obter pelo menos 10% desse mercado que chegaria a R$ 10 bilhões. “É um volume muito significativo para um estado que tanto precisa de recursos”, disse o deputado federal.

O acordo designa a exploração da base espacial da cidade de Alcântara para atividades espaciais por companhias estadunidenses e as proteções que esses agentes terão no desenvolvimento de ações no local, como lançamento de foguetes e satélites.