O Estado do Maranhão tem o menor número de trabalhadores do setor privado com carteira assinada no país. Os dados são da Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios Contínua (Pnad) divulgada nesta quarta (14) pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE)

No setor privado com carteira assinada, a taxa de desemprego no terceiro trimestre de 2018 foi de 51% no Maranhão. A média no Brasil foi de 74%. No âmbito geral do desemprego, o Maranhão atingiu a sétima pior média na taxa de desocupação, com índice de 13,7%. No Brasil, a taxa média foi de 11,9%.

O estado também ocupa a pior posição no índice de desalentados. Segundo a definição do IBGE, desalentados são pessoas que não conseguiram ou desistiram de procurar emprego. A média do país é de 4,3%. No Maranhão, o número é quase quatro vezes maior: 16,6 %, o que corresponde a 523 mil pessoas.