De acordo com o Ministério Público do Maranhão, o órgão recebeu denúncias de mulheres do Maranhão contra o médium João Teixeira de Faria, conhecido como João de Deus, de 76 anos, que é suspeito de abusar sexualmente de centenas de mulheres, as quais o procuravam para “cirurgias espirituais”, em seu consultório na cidade de Abadiânia, no interior de Goiás. O órgão recebeu mais de 300 denúncias de acusações contra o religioso, tanto de mulheres de diversos Estados do Brasil, como de outros países.

De acordo com o Ministério Público do Maranhão (MPMA), há suspeitas de que denúncias estão sendo realizadas nas promotorias do interior, mas não há, até o momento, registros em São Luís. Da Região Nordeste do Brasil, o Ministério Público de Goiás (MPGO) recebeu denúncias de Pernambuco, Piauí e Maranhão. Desde o dia 10, quando foi criado o e-mail para recebimento de denúncias de vítimas, um total de 335 mensagens e contatos por telefone foram atendidos. O e-mail específico para essa finalidade é o denuncias@mpgo.mp.br. Os atendimentos são de denunciantes de Goiás, Distrito Federal, Minas Gerais, São Paulo, Paraná, Rio de Janeiro, Espírito Santo, Rio Grande do Sul, Mato Grosso do Sul, Pará, Santa Catarina, além dos Estados do Nordeste já mencionados. Há também denúncias oriundas da Alemanha, Austrália, Bélgica, Bolívia, Estados Unidos e Suíça.

As acusações contra o médium começaram no início da madrugada do sábado dia 08 de dezembro, quando dez mulheres revelaram terem sido sexualmente abusadas durante o programa “Conversa com Bial”, da TV Globo. De acordo com elas, os casos teriam acontecido no local onde o médium realiza seus atendimentos espirituais, na cidade de Abadiânia, no interior de Goiás.