Milhares de maranhense que moram em outros estados onde já registrou o surto do coronavírus (COVID-19), incluído mortes, tem chegado ao Maranhão nos últimos dias, em ônibus e até mesmo por aeroportos. Já existem registros em diversos municípios maranhense, casos suspeitos de pessoas que vieram de outros estados estarem com o vírus (COVID-19), alguns deles apresentando os sintomas da doença e já estão em isolamento.

A maior preocupação da população dos pequenos municípios, que até então estavam livre do risco do coronavírus, é a falta de consciência de algumas dessas pessoas, que estão agindo como se estivessem de férias, indo para bares, locais com grande concentração de público e colocando a vida de muitos em risco. Já que os sintomas em uma pessoa contaminada, só aparecem em média 5 dias após infecção e a fase contagiosa pode durar 2 semanas, mostra estudos.

No Maranhão só nesta sexta-feira (20), iniciou o monitoramento de passageiros em aeroportos e rodoviárias por profissionais da saúde em barreiras sanitárias. Porém os demais que chegaram antes, não estão respeitando o período de quarentena, estão espalhados por diversos municípios do estado e a maioria deles agindo normalmente, em ruas e avenidas dos municípios, colocando em risco a saúde de terceiros, já que alguns deles podem está com o vírus em período de incubação.

O Maranhão até o exato momento ainda não se tem casos do vírus, apenas monitorando 205 casos suspeitos do novo coronavírus. Em um decreto do governador, Flávio Dino (PCdoB), foi proibido a entrada de ônibus interestaduais – com origem de qualquer estado do Brasil e do Distrito Federal (DF), exceções apenas para os casos de regiões integradas ou metropolitanas que abranjam outro estado.