Ministério Público promove fórum sobre prevenção ao suicídio em São Luís

Objetivo do encontro foi discutir plano estadual de prevenção ao suicídio

O Ministério Público do Maranhão, por meio do Centro de Apoio Operacional dos Direitos Humanos – CAOP/DH, promoveu, na manhã desta segunda-feira, 13, no auditório do prédio das Promotorias de Justiça da Capital, um fórum com representantes de várias instituições municipais e estaduais para discutir a criação de um plano estadual de prevenção ao suicídio.

As promotoras de justiça Cristiane Maia Lago e Lana Cristina Barros Pessoa conduziram o debate. Também participou do fórum a promotoria de justiça da Educação de São Luís, Maria Luciane Lisboa Belo. 

No encontro, foram apresentados dados estatísticos relacionados a suicídio e automutilação em algumas escolas do Maranhão, assim como debatidas ações para o desenvolvimento de um plano para a prevenção. Ao todo, 17 instituições estão envolvidas na elaboração do plano.

Segundo a diretora do CAOP/DH, Cristiane Maia Lago, o fórum é a continuidade de um trabalho que o Ministério Público está desenvolvendo em parceria com a sociedade para prevenção ao suicídio. “São representantes de várias instituições e da sociedade civil também, no sentido de fazermos todos juntos um plano estadual de prevenção ao suicídio, que vai atender a necessidade de toda a população. O trabalho a princípio será nas escolas públicas”, destacou a promotora.

Presente na discussão, o diretor-geral do Hospital Nina Rodrigues e membro da organização “Como Vai Você”, Ruy Ribeiro Moraes Cruz, ressaltou a importância das Secretárias de Saúde e Educação trabalharem em conjunto para obter mais fluidez na transmissão de informações e realização de atividades.

No fórum, também foram criadas duas comissões. A primeira, que tratará de reunir dados estatísticos sobre suicídio e automutilação de estudantes e adolescentes da rede pública de ensino, vai fazer diagnósticos e, a partir dos dados coletados, preparar ações de combate aos problemas. A segunda comissão será responsável por criar um plano estratégico de atividades nas escolas públicas, a fim de prevenir tais ocorrências.

Sobre os próximos passos do projeto, a promotora Cristiane Lago destacou a realização de atividades dentro do ambiente escolar. “Estaremos nas escolas identificando lideranças que sejam protogonistas nesse trabalho de identificar alunos em situação de automutilação e depressão, fazendo esse contato entre a escola e o setor público na área de saúde e assistência social”.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *