Nesse domingo (6), dois motociclistas foram presos pela Polícia Rodoviária Federal (PRF), na Região Tocantina, por estarem dirigindo embriagados. Um foi detido na cidade de Açailândia e outro em Imperatriz

Segundo a PRF, por volta das 15h50, uma equipe compareceu no km 663.3 da BR-222, no município de Açailândia, após os policiais rodoviários federais terem sido informados sobre um acidente de trânsito.

No local, uma motocicleta Honda/CG 125 Titan vermelha havia colidido em um automóvel Chevrolet/Celta. O condutor da motocicleta foi atendido e removido pelo Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (SAMU 192) e, segundo testemunhas, estava com visíveis sintomas de embriaguez.

A equipe da PRF se deslocou até o Hospital Municipal de Açailândia, onde encontrou o motociclista, o qual informou que havia bebido e que não era habilitado (sem Carteira Nacional de Habilitação).

Após o homens ser submetido a exame de alcoolemia, constatou-se o teor de 0.83 miligramas de álcool por litro de ar expelido pelos pulmões. Diante dos fatos, o motociclista recebeu voz de prisão.

Após receber alta médica, o motociclista foi autuado por embriaguez, licenciamento atrasado e não habilitado.

Diante das informações obtidas foram constatados, a princípio, os seguintes delitos: dirigir veículo automotor, em via pública, sem a devida Permissão para Dirigir ou Habilitação ou, ainda, se cassado o direito de dirigir, gerando perigo de dano e Conduzir veículo com capacidade psicomotora alterada em razão da influência de álcool – Embriaguez ao volante.

O homem foi entregue no Plantão Central da Polícia Civil em Açailândia.

Prisão em Imperatriz

Por volta das 18h15, uma equipe da PRF, em ronda no trecho urbano do município de Imperatriz, na BR-010, visualizou a motocicleta Honda/XRE ultrapassar pela contramão.

A equipe deu ordem de parada ao veículo, que empreendeu fuga. A PRF fez o acompanhamento tático do veículo na BR-010 bem como por diversos bairros da cidade de Imperatriz, até que o condutor, impossibilitado de continuar, parou o veículo.

Segundo a PRF, o motociclista exalava forte odor de álcool, apresentava fala embaraçada e dificuldades para se equilibrar. Submetido ao exame de alcoolemia, constatou-se o teor de 0.52 miligramas de álcool por litro de ar expelido pelos pulmões.

Questionado, o condutor confessou ter ingerido bebida alcoólica (cerveja) até o fim da tarde (aproximadamente 17h).

Diante das informações obtidas foi constatada, a princípio, os seguintes delitos: Embriaguez ao Volante e desobediência.