O governo do Maranhão confirmou recentemente os primeiros casos de Covid-19 provocado pela variante B.1.617 do coronavírus detectada pela primeira vez na Índia. Ela foi identificada em um paciente indiano, tripulante do navio Mv Shangon Da Zhi, que deu entrada em um hospital da rede privada em São Luís.

Até o fim da semana passada seis casos da cepa indiana foram registrados no Maranhão, sendo que pelo menos 100 pessoas tiveram contato com os estrangeiros infectados. Após a confirmação dos primeiro casos da doença no Maranhão, estados vizinhos como Piauí, Pará e Tocantins, já discutem medidas para evitar a entrada da cepa indiana em seus territórios.

Entre as primeiras medidas tomadas pelo governador do Pará, Helder Barbalho, foi o envio de ofício à empresa Vale, com um pedido em caráter de urgência, para que seja suspenso, temporariamente, o serviço de transporte de passageiros realizado pelo Trem da Estrada de Ferro Carajás, até que a situação epidemiológica permita e autorize a retomada das viagens. No documento, o Governo considera a atual situação do Estado do Maranhão, que se encontra com registros da nova cepa indiana da Covid-19.

Já o Governo do Piauí confirmou a montagem de 26 barreiras sanitárias nas divisas entre Piauí e Maranhão, além de manter as barreiras em rodoviárias e aeroportos.

No Tocantins, o Ministério Público Estadual (MPE) pediu informações para a Secretaria de Estado da Saúde (SES) sobre as medidas que estão sendo tomadas pelo governo do Tocantins para previr a chegada da nova cepa ao estado. O pedido de informações feito pelo MP cita a confirmação de casos da nova variante no estado do Maranhão