O deputado federal do Maranhão, Pastor Gildenemir (PL), mencionado em anotações manuscritas e mensagens de aparelhos celulares apreendidos pela Polícia Federal durante ação sobre supostos desvios de recursos de emendas destinadas à saúde e ao combate à Covid-19 no Maranhão, diz ser vítima de perseguição.

Gildenemir faz parte da base do presidente do Partido Liberal no Maranhão, o deputado federal Josimar de Maranhãozinho. De acordo com as investigação, Maranhãozinho e Gildenemir estariam envolvidos em um esquema de extorsão a prefeitos do estado, que eram ameaçados para devolver 25% dos valores recebidos em emendas destinadas aos municípios como propinas para a organização criminosa.

Em um vídeo, divulgado essa semana, Pastor Gildenemir diz que está sendo perseguido pelos ‘Comunistas’ e diz que eles são um dos seus maiores inimigos. O deputado faz um referência ao Partido Comunista Brasileiro (PCdoB), partido da base de Flávio Dino.