O prefeito de Carolina e médico, Dr Erivelton (PL), é acusado de ter matado o próprio filho, através de um aborto sem o consentimento da mãe.

De acordo com a denúncia, o médico e atualmente prefeito, manteve por anos um relacionamento extraconjugal. Ao tomar conhecimento que sua amante estava grávida, ele teria marcado um encontro e usando seu conhecimento na medicina, ele teria fingido que examinaria a mulher.

Porém a partir daí, teve o início ao pesadelo, a jovem relatou em seu depoimento que foi anestesiada e teve a criança arrancada de seu ventre. Tudo teria ocorrido em um motel, que teve um dos quartos usado como improviso para matar a criança.

Após o ocorrido, Erivelton teria deixado a jovem na companhia de um enfermeiro e fugido do local. Mesmo anestesiada a jovem entrou em contato com um dos ‘braço-direito’ do prefeito conhecido como Lindomar.

Nas conversas, ela relata a Lindomar que sente muitas dores, inconformada ela pergunta a ele porque o prefeito teria feito tal absurdo com ela. Lindomar que era o intermediário das conversas entre a jovem e o prefeito, atualmente é vereador de Carolina.

O que mais chama atenção é que Lindomar era suplente de vereador. Porém o prefeito como forma de agradecimento, deu a Secretaria de Infraestrutura ao vereador eleito e Lindomar que até então era suplente, conseguiu assumir uma cadeira no Legislativo de Carolina.

O caso só veio a tona em 2021, através de um documento protocolado no Conselho Regional de Medicina do Maranhão.

Veja abaixo a reportagem  completa com exclusividade