O prefeito de Cândido Mendes, que estava preso há 14 dias, foi solto pela Justiça e vai administrar a prefeitura usando tornozeleira eletrônica.

Mazinho foi preso no mês passado durante realização, por parte do Grupo Especial de Combate às Organizações Criminosas (Gaeco) do Ministério Público e Polícia Civil, da Operação Cabanos, que investiga fraudes licitatórias em diversas Prefeituras maranhenses.

O gestor ganhou a liberdade após uma Medida Cautelar Incidental, ajuizada pela defesa do prefeito, que foi acolhida pelo Desembargador José Ribamar Froz Sobrinho, que determinou a soltura de Mazinho com implantação de uma tornozeleira eletrônica.

A defesa do gestor alegou que ele é réu primário com mais de 60 anos e faz parte do grupo de risco da Covid-19.

O gestor foi solto mais com algumas exigências. O determinou o uso uso de tornozeleira eletrônica; proibição de frequentar bares, restaurantes e afins; recolhimento domiciliar no período noturno e nas folgas; proibição de ausentar-se da Comarca sem prévia comunicação ao Juízo; e comparecimento periódico em Juízo para informar e justificar suas atividades laborais.