O presidente da colônia de pescadores Z-35 de Estreito, Edvaldo Fernandes Lima Rocha, declarou através de uma nota nas redes sócias que não será candidato à vereador.

De acordo com a nota, ele não teve seu incluso na Ata do Partido Liberal (PL), comandado por Léo Cunha em Estreito. Edvaldo destaca que um dos motivos de não ter seu nome incluso, foi racismo e acusou o grupo de Léo Cunha de ditadura.

“Quero pedir desculpas a todos os amigos, não foi culpa minha, mas de quem coordena o partido, que não quis ver meu sonho realizado, sabemos que a ditadura ainda continua em nosso país, e o racismo contra a classe negra, eu fui mais uma vítima” disse Edvaldo em sua nota.

Ele também comunicou através da nota, aos pescadores, que está retornando ao comando da colônia na próxima segunda-feira (12). Edvaldo que esteve com Léo Cunha desde o iniciou, por fim, declarou apoio a Jackson Pereira, após ser covardemente traído no grupo de Léo Cunha.

VEJA ABAIXO A NOTA ASSINADA POR EDVALDO