Na manhã da última quarta-feira (14), a Superintendência Estadual de Investigações Criminais (SEIC) da Polícia Civil do Maranhão, por meio do Departamento de Combate ao Roubo a Instituições Financeiras (DCRIF), efetuou a prisão de três pessoas suspeitas de integrar facção criminosa com atuava na prática de roubos a banco, na modalidade “sapatinho”, em todo os estado do Maranhão.

De acordo com a polícia, dentre os envolvidos está um policial militar suspeito de planejar o sequestro do gerente do Banco do Brasil de Colinas, interior do Maranhão, e também de sua família. O crime planejado é conhecido como “sapatinho”. De acordo com a polícia, o PM fazia o levantamento sobre o gerente do banco, identificou sua residência, horário de trabalho e horário de chegada em casa. Além disso, planejava rotas de fuga, retirada de viaturas de policiamento local para facilitar a atuação do restante do grupo.

Ainda segundo a polícia, está envolvida também uma mulher cuja função seria intermediar a troca de informações entre o policial e membros da facção presos no complexo prisional de Pedrinhas. A função da suspeita também era de prestar auxílio material aos envolvidos. Além disso, ela é companheira do líder da facção criminosa, que está preso no complexo prisional de Pedrinhas. Ele decidiria quando e como o crime ocorreria.

A polícia conseguiu desarticular a organização criminosa e o crime não aconteceu. As prisões ocorreram na cidade de Colinas, interior do Maranhão e Marabá, interior do Pará, juntamente com apoio da Polícia Civil do Pará, por meio da Delegacia de Polícia de São Domingos do Araguaia.

Após o cumprimento dos mandados de prisão, expedidos pela 1ª Vara Criminal da Comarca de São Luís pela pratica do crime de organização criminosa, todos os suspeitos foram encaminhados as respectivas unidades prisionais, onde permanecerão à disposição da justiça criminal.