Nessa quinta-feira (20), a Polícia Militar do Maranhão prendeu, em flagrante, três homens suspeitos de praticar os crimes de estelionato, associação criminosa e porte de entorpecentes na cidade de São José de Ribamar, na Região Metropolitana de São Luís.

As prisões foram feitas durante a operação Pontual, desenvolvida pelo 8º BPM. Na ação policial foram apreendidos: 23 caixas de máquinas; 36 máquinas de cartão Minizinhas; quatro aparelhos de celulares; 14 cartões de crédito; roupas e joias.

Segundo a PM, policiais do 8º BPM faziam rondas na avenida Atlântica, no bairro Araçagi, quando avistaram um veículo Ford Ka vermelho de placa PTT-9J75, com três pessoas em seu interior em atitude suspeita.

A equipe policial fez a abordagem e durante a revista no interior do automóvel, foram encontradas três máquinas Minizinhas (clip-2), dentro de uma bolsa tipo estojo.

Segundo a PM, os suspeitos foram questionados sobre a procedência das máquinas, mas de início não souberam explicar, em seguida um dos detidos informou que usava a máquina para realizar venda de celulares.

Durante a revista pessoal, os policiais encontraram um cartão magnético de um quarto em um flat em São Luís. A PM foi ao flat e, no quarto dos suspeitos, foram localizadas mais 33 máquinas Minizinhas de cartão de crédito, bem como um caderno com anotações da contabilidade do grupo criminoso.

Durante os levantamentos iniciais, a Polícia Militar descobriu que o trio é natural do estado de São Paulo e que todos possuem passagem pelo sistema prisional por crimes contra o patrimônio. E que o crime principal da quadrilha era usar máquinas de cartões para aplicar golpes na capital maranhense.

Os suspeitos foram encaminhados para a Superintendência Estadual de Investigações Criminais (Seic), onde foi descoberto que eles já estavam sendo procurados desde o ano de 2018, após fazerem dezenas de vítimas nesta capital.

Ainda segundo a polícia, já existe uma investigação em andamento contra os suspeitos, os quais aparecem em imagens de vídeo usando o mesmo Ford Ka vermelho fazendo saques de dinheiro em caixas eletrônicos de uma rede de supermercado em São Luís.

Ainda segundo com a PM, em anotações contidas no caderno usado para fazer o controle do faturamento da quadrilha, o grupo chegava a faturar diariamente entre R$ 11mil e R$ 35mil.