O secretário Simplício Araújo da Secretaria de Indústria, Comércio e Energia (Seinc), reuniu com representantes da Vila Energia Renovável para debater sobre o potencial eólico do estado e fomento a novo empreendimento da empresa no litoral maranhense.

Durante a reunião, a empresa apresentou à Seinc suas atividades referentes a projetos eólicos, com atuação existente, atualmente, em outros estados do Nordeste, como Bahia e Rio Grande do Norte. No Maranhão, a empresa possui projeto adiantado com  potencial de capacidade de geração de energia em até 254 MW, com propostas para o município de Tutóia.

Simplício Araújo ressaltou a importância do diálogo com a classe empresarial referente à energia eólica, pontuando a qualidade em geração deste tipo de energia no Estado. “O Maranhão tem vivido um momento único na geração de energia. Nos últimos anos, através do Governo do Estado, a Omega Energia, por exemplo, reforçou a implantação do primeiro parque eólico do estado. Não só expandimos na capacidade de geração de energia, como estamos constantemente buscando ações que amplie os investimentos no Estado”, afirmou o secretário.

Criada em março de 2019, a Vila Energia Renovável vem atuando na inserção da energia renovável na matriz energética nacional, com destaque no desenvolvimento de empreendimentos fotovoltaicos no país, provenientes de fontes de energia solar, eólica e hídrico (PCHs e CGHs).

Energia Eólica

O Complexo Eólico Delta Maranhão, a primeira usina eólica do Estado, está localizada em Paulino Neves e Barreirinhas, com capacidade de 426 MW e composta por 15 empreendimentos. Ao todo, são 136 aerogeradores e 12 parques em operação, com investimento inicial de R$ 1,5 bilhão – em 2018, foram mais R$ 500 milhões para ampliação, com capacidade atual para abastecer 2,5 milhões de residências.

“O investimento em energia, no parque eólico especificamente, impacta no mercado de trabalho do Maranhão. Já foram gerados, aproximadamente, 4 mil empregos diretos e indiretos”, acrescentou Simplício Araújo.

Sustentabilidade

Atualmente, o Maranhão é considerado como um dos estados brasileiros com maior potencial de geração de energia eólica. No período de janeiro a agosto de 2019, a geração de energia pela força dos eventos cresceu 33,3% no Maranhão, com geração de 122,5 MW médios – no mesmo período de 2018, foram 91,9 MW médios.

E uma das principais características é o baixo impacto ambiental, fortalecendo os objetivos da Seinc e do Governo do Estado na construção de uma sociedade sustentável.

Com uma fonte eólica sem gerar resíduos e tendo o desenvolvimento como base essencial, a geração de energia elétrica limpa (sem causar emissões de gases poluentes na atmosfera) se tornou uma realidade no Estado.