O médico veterinário suspeito de ter assassinado o empresário, Eduardo, de 39 anos, deve ser apresentado na tarde desta quinta-feira (10) na Superintendência de Homicídios e Proteção a Pessoa (SHPP).

A informação da apresentação do suspeito à polícia foi dada pelo advogado do médico veterinário, que até então continua foragido. O suspeito encaminhou o advogado até a SHPP na manhã de hoje para pegar os dados que foram apurados até agora pela Polícia Civil.

De acordo com o superintendente da SHPP, Lúcio Reis e segundo os depoimentos ouvidos, o médico veterinário já estava há cinco anos como colaborador da empresa. Ele não tem passagem pela polícia e sempre teve um bom relacionamento com os funcionários e clientes da clinica onde trabalhava.

“Os depoimentos apontam que a arma usada no crime era dele, apesar dos funcionários e proprietários dizerem que nunca viram ele com essa arma de fogo, e por isso pode ser que seja uma arma clandestina”, disse o delegado Lúcio Reis.

O delegado afirmou também que toda cena do crime foi gravada por câmeras de segurança. O proprietário da clinica foi ouvido e tem colaborado com a investigação. Outras pessoas também vão ser ouvidas.

Entenda o caso

Na noite da última quarta-feira (9), um dono de uma pizzaria, identificado como Eduardo Viegas, de 39 anos, foi morto a tiros por um médico veterinário em clínica no Monte Castelo.

O empresário havia levado um gato na clínica para fazer alguns serviços, mas se recusou a pagar o serviço por não ter gostado do orçamento. A situação gerou uma discussão entre o empresário e o médico, indo até para agressões físicas.

O veterinário sacou uma pistola 380 e fez nove disparos à curta distância contra a vítima.