FOTO: REPRODUÇÃO

O Parque Nacional da Chapada das Mesas, no sul do Maranhão, deve em ganhar em breve um plano de manejo que vai definir o que pode ou não ser explorado no parque que é protegido por lei. O parque possui mais de 160 mil hectares e ocupa áreas nos municípios de Estreito, Carolina e Riachão.

As reuniões para elaborar o documento estão sendo coordenadas pelo Instituto Chico Mendes de Biodiversidade (ICM/Bio), órgão ligado ao Ministério do Meio Ambiente e que faz a gestão do parque. Criado há 12 anos, o parque vai ganhar só agora um plano de manejo. A área preserva mais de 400 nascentes de rios e milhares de espécies da fauna e flora em um dos mais belos ecossistemas do cerrado.

Nesta semana os representantes das 28 famílias que ainda vivem dentro do parque, agências de turismo, organizações não Governamentais (ONGs) e prefeituras dos municípios que estão dentro das áreas, participaram de uma oficina de mapas para elaborar um plano. Os participantes fizeram o zoneamento das áreas que podem ser exploradas pelo turismo sustentável.

De acordo com Lourdes Ferreira, coordenadora do plano de manejo do Instituto Chico Mendes de Biodiversidade (ICM/Bio) os planos de manejo são importantes pra qualquer unidade de conservação, seja federal ou municipal, porque é o principal documento que organiza e dá o norte, as diretrizes para o correto funcionamento e implantação das unidades. Para esse aqui é muito importante pois por se tratar de ser um parque nacional muito conhecido, tem um apelo muito grande pra visitação. A pressão pra organizar essa visitação já estava muito grande e a necessidade de proteção, justificou a elaboração do plano.