O partido Cidadania da senadora maranhense, Eliziane Gama, eleita com apoio em massa dos evangélicos, pediu ao presidente do STF (Supremo Tribunal Federal, Luiz Fux, que casse a liminar expedida pelo ministro Nunes Marques, que libera a realização de eventos religiosos.

A sigla de Eliziane Gama diz que a decisão foge à razoabilidade e que é inconstitucional, uma vez que cria “privilégio abstrato” para a liberdade de cultos.

Além disso, destaca que a fiscalização dos templos, para assegurar a adoção de medidas preventivas, é quase impossível e considera absurdas as comparações realizadas para justificar a essencialidade das atividades religiosas.

O partido da senadora solicita que Fux ordene a suspensão imediata da decisão de Nunes Marques, até que o caso seja devidamente julgado.

Já a senadora maranhense, permanece em silêncio e não se pronunciou até o momento em defesa da classe, que abraçou sua campanha e foi responsável pela sua vitória na corrida pelo Senado.

Líderes religiosos no Maranhão, defendem a liberação de cultos, respeitando as normas sanitárias. Segundo eles, as igrejas tem desempenhado um papel fundamental na pandemia, devido ao grande número de pessoas com depressão durante a crise sanitária e econômica que o país enfrenta.