Na noite da última quarta-feira (31), o Procurador-Geral da República, Augusto Aras, pediu ao Supremo Tribuno Federal (STF), a suspensão de decretos que proíbam a realização de cultos, missas e demais atividades religiosas em todo o país. O procurador-geral entende a importância das igrejas para a saúde mental e espiritual dos brasileiros.

Aras frisou que a população precisa de assistência religiosa para o enfrentamento do grave momento da pandemia da Covid-19. O procurador pediu a suspensão imediata dos decretos, que impeçam o funcionamento das igrejas, para que os cristãos possam celebrar a páscoa, neste domingo (4).

No Maranhão, já existe um Projeto de Lei (110/2020) aprovado pela Assembleia Legislativa, de autoria da Deputada Mical Damasceno (PTB), que estabelece as igrejas e os templos de qualquer culto como atividade essencial em períodos de calamidade pública no Estado. O texto aguarda sanção do Governador.

“Fico muito feliz com o parecer do Procurador-Geral da República. Ele, assim como nós, entende a importância do funcionamento das igrejas para a saúde espiritual e mental da população, especialmente, nesses momentos difíceis que estamos atravessando com a pandemia. A igreja de Jesus não pode parar” destaca Mical.