De uma eleição tranquila para deputado federal, o advogado Felipe Camarão dar com os burros nágua na aventura rumo ao Partido dos Trabalhadores.

O secretário Crustáceo deixou o DEM na semana passada para filiar à sigla comandada pelo ex-presidente Lula, mas tem sofrido resistência internas por parte das hostes mais orgânicas e históricas do petismo.

Primeiro porque não tem histórico de defesa do PT. Não ha registros de posições de Camarão em favor da inocência do ex-presidente Lula ou contra o impeachment de Dilma.

Segundo: Camarão pode tirar vaga do deputado federal Zé Carlos caso concorra a vaga na Câmara Federal.

Terceiro, por causa da forma como o todo-poderoso secretário dinasta se coloca no tabuleiro eleitoral. Ao blefar sobre a disputa majoritária do ano que vem, colocando-se como “coringa” numa surreal aliança entre PT e PSDB, ele faz perecer que está acima das diretrizes nacionais da legenda.

Soma-se a isso, a dificuldade que Camarão encontra para cumprir, junto à base petista, os próprios acordos, os de Dino e do vice Carlos Brandão.

Se não tomar cuidado, Felipe Camarão pode ter o mesmo destino do ex-secretário de Roseana Sarney, Fábio Gondim.

Quem avisa amigo é!