O governo federal leiloou na sexta-feira (9), na B3 em São Paulo, o arrendamento de quatro áreas portuárias (lQl03, lQl11, lQl12, lQl13) no Porto do Itaqui, no Maranhão, por mais de R$ 216 milhões.

A empresa Santos Brasil Participações venceu três concessões, e uma foi levada pelo Terminal Químico de Aratu (Tequimar). A previsão é que, ao longo do período de concessão, sejam investidos R$ 594 milhões no porto maranhense.

Com lance de R$ 61,3 milhões, a Santos Brasil Participações arrematou a área lQl03 no Porto do Itaqui. O terminal tem área de 25.416 metros quadrados (m²), dedicada à movimentação de granéis líquidos, especialmente combustíveis. O contrato de arrendamento tem prazo previsto para exploração de 20 anos. No período, a companhia deverá fazer investimentos de R$ 106,5 milhões no terminal.

A área do terminal lQl11 (33.607m²) também foi arrematada pela Santos Brasil Participações, assim como a lQl12 (38.683 m²), com lance de R$ 56 milhões e R$ 40 milhões, respectivamente. Os terminais, que também operam principalmente com granéis líquidos, deverão receber investimentos da companhia da ordem de R$ 133 milhões e R$ 177 milhões, respectivamente. O tempo de contrato é de 20 anos.

Com lance de R$ 59 milhões, a Ultracargo – Terminal Químico de Aratu – arrematou a área do terminal lQ13 (32.078 m²), e terá de arcar com a implantação de toda a infraestrutura do terminal para a operação de granéis líquidos, incluindo edificações, tancagem, tubulações, bem como com os equipamentos a serem utilizados na operação, com a previsão de investimentos da ordem de R$ 178,5 milhões em um período de concessão de 20 anos.